Karolina Pliskova: «Ser número dois não muda nada»

Por admin - 7 Setembro, 2017

Naturalmente desiludida após a eliminação nos quartos-de-final do US Open frente a CoCo Vandeweghe, Karolina Pliskova desvalorizou a perda da liderança no ranking mundial para a espanhola Garbiñe Muguruza quando questionada acerca da pressão que rodeia uma número um mundial que nunca venceu um Grand Slam.

“Não quero saber disso. Não escolhi ser número um agora (antes de vencer um major), espero ter mais hipóteses de chegar lá no futuro. Há muitos Grand Slams pela frente”, refere a checa que surpreende quando confrontada com o suposto ‘alívio’ ao deixar o topo da hierarquia mundial. “Não acredito que algo mude agora que sou número dois. Não vejo qualquer mudança, pelo menos para mim não há”.

Em relação à sua derrota frente a Vandeweghe, Pliskova falou de alguns momentos decisivos para tal, mas foi admitindo que não esteve ao seu melhor nível durante o torneio norte-americano. “Fiz quartos-de-final, é muito bom, penso eu. Nem sempre conseguimos chegar tão longe num torneio, por isso, estou contente por ter chegado até aqui. Hoje o encontro foi muito equilibrado. Tive set points no primeiro set, breaks no segundo e também algumas oportunidades de break. Ela (Vandeweghe) jogou muito bem, penso que pode jogar pior do que fez hoje. E ao mesmo tempo penso que eu também poderia ter feito melhor”.