Isner: «O ténis agora é secundário na minha vida»

Por José Morgado - Novembro 26, 2021
isner

John Isner, de 36 anos, fez uma temporada discreta. Não apenas porque não fez grandes resultados, mas também porque competiu muito pouco, num calendário que priorizou a sua saúde e o tempo para a família, que viu crescer com o nascimento de um terceiro filho. Em Turim para ajudar a seleção dos Estados Unidos nas Davis Cup Finals, Cilic coloca as suas prioridades em ordem.

“As minha vida mudou. Com a idade que tenho já não tenho nem posso passar três horas por dia em court. Tenho outras responsabilidades, como educar os meus filhos. É tudo uma questão de organização, mas o ténis agora é secundário na minha vida. Em 2021 joguei pouco, mas quando joguei mostrei bom nível. Vou representar o meu país e não há maior motivação do que essa”, assumiu em conferência de imprensa.

Os Estados Unidos levam a Turim, para além de Isner, Frances Tiafoe, Reilly Opelka, Rajeev Ram e Jack Sock. O primeiro encontro é precisamente diante de Itália, esta sexta-feira (15h00).

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt