Incrível: Shelton só precisa de dois Grand Slams para se estrear nuns ‘quartos’

Por José Morgado - Janeiro 23, 2023

Ben Shelton saiu dos Estados Unidos pela primeira vez há três semanas — nunca tinha usado o seu passaporte, nem para ir de férias — e a primeira viagem está a valer bem a pena. O jovem norte-americano de 20 anos, campeão universitário norte-americano em 2021 pelos Florida Gators e em 2022 na vertente individual, qualificou-se esta segunda-feira para os quartos-de-final do Australian Open, o segundo Grand Slam da sua carreira — estreou-se no US Open, em agosto, onde perdeu na primeira ronda… com Nuno Borges.

O jovem de Atlanta, que foi companheiro do português Duarte Vale na University of Florida, derrotou o seu compatriota JJ Wolf, outra antiga estrela do circuito universitário (Ohio State), por 6-7(5), 6-2, 6-7(4), 7-6(4) e 6-2, numa batalha de quatro horas em que voltou a deixar bem evidente toda a extensão do seu talento e ténis ofensivo.

Agora, Shelton, de 20 anos, vai defrontar o vencedor do encontro entre o compatriota Tommy Paul e o espanhol Roberto Bautista Agut.

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt