Garcia confessa nervos: «Já na primeira ronda estava completamente stressada»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Setembro 9, 2022

Caroline Garcia chegou às meias-finais do US Open a arrasar todas as adversárias, ao não perder qualquer set e raramente passar mal. No entanto, foi do 80 para o 8, ao ser completamente dominada por Ons Jabeur. No final, admitiu que os nervos tomaram um pouco conta de si, sendo que já estavam a bater à porta.

O QUE FEZ A DIFERENÇA

É evidente que os nervos estavam cá, é normal. Quando comecei o torneio, já na primeira ronda estava completamente stressada. Cada encontro significa muito, queria ganhar todos. Sabia que estava nas meias-finais e sabia o que estava em jogo, é o meu sonho desde criança. O início do encontro não foi bom, cometi erros num par de pontos importantes. Os braços e as pernas não se moveram tão bem. No meu jogo, se sou mais lenta, os erros chegam rapidamente. Tentei, fiz o melhor que pude e continuei a atacar, mas não deu. É a minha forma de jogar e de pensar, vou continuar assim.

O QUE LEVA DE BOM

A imprensa nunca vê tudo. Antes de chegar tive um pequeno ataque de nervos, mas agora está tudo controlado. Veremos por quanto tempo. Claro que há uma enorme decepção, não foi um bom encontro. Mas há coisas positivas a tirar daqui. Fiz meias-finais, dei um grande salto no ranking. Sei onde estava há uns meses e há uns anos, então tenho de olhar para o lado bom. Há muita coisa que posso aprender também.

Swiatek e Jabeur jogam final do US Open entre as duas melhores jogadoras do ano

Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo. Email: pedropinto@bolamarela.pt