Ferrer: «Não queria ir-me embora a odiar o ténis»

David Ferrer, antigo top 5 mundial que está prestes a pendurar a raqueta na próxima primavera, aos 36 anos, e numa longa entrevista ao site espanhol ‘Punto de Break‘ reiterou que a altura não poderia ser a melhor, por uma série de razões.

“Para mim estava muito claro na minha cabeça que me queria retirar do ténis sem odiar a modalidade. Em 2016 e 2017 passei mal com a noção de que já não era um top 10 ou top 15, que não tinha esse nível. Mas em 2018 vim mais tranquilo e pronto para aceitar a minha nova condição e a minha decisão de, eventualmente, me ter de retirar. Em termos pessoais também é o momento perfeito”, confessou o espanhol.

Ferrer voltou a confirmar o seu calendário de despedida. “Vou jogar na Hopman Cup, Auckland, Buenos Aires, Acapulco, Barcelona e acabo em Madrid”, assegurou, voltando a garantir que não joga o Australian Open, apesar da possibilidade de receber um wild card.

O antigo finalista de Roland Garros gostava que o seu pequeno filho, Léo, de 5 anos, um dia experimentasse o ténis. “Eu adoro o ténis, o ambiente da modalidade, por isso claro que gostava que ele um dia experimentasse aquilo pelo qual eu passei toda a vida. Ela vai fazer o que quiser, não me preocupo com isso”…