Ferrer: «Gostava de ter vencido um Grand Slam mas não fico magoado porque dei tudo o que tinha »

Por Nuno Chaves - Novembro 30, 2018

David Ferrer vai entrar no seu último ano de competição da carreira. O veterano espanhol vai realizar seis torneios em 2019, depois duma temporada de 2018 onde mostrou já não ter as mesmas forças para lutar frente aos melhores do mundo.

O antigo top 3 mundial, que tem como último torneio o ATP 1000 de Madrid, referiu que vai dar tudo nesta última etapa enquanto tenista. “Vou competir como sempre fiz: a 100%. Tenho a motivação suficiente para fazer bem. Quando não ganhas os jogos que estás habituado a ganhar ou quando não podes estar nos torneios que queres, creio que é um bom momento para dar um passo e começar outra etapa. Tento não imaginar como será porque crias expectativas e depois acontece outra coisa”, afirmou o espanhol.

Foi uma carreira recheada de sucesso, ainda assim, Ferrer revelou aquilo que faltou. “Gostava de ter vencido um Grand Slam e completar o meu palmarés. Não me dói porque dei tudo. Posso dizer que não foi por não ter dado tudo mas é certo que foi aquilo que faltou. Ao mesmo tempo foi incrível e uma sorte ter coincidido com o Roger, Rafa e o Nole. Tornaram-me num melhor jogador. Ter chegado a número três convivendo com eles no circuito faz-me estar tranquilo e com a sensação de que fiz muitas coisas bem”, disparou em declarações à EFE.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.