Felipe Cunha e Silva: «Entrei muito nervoso mas consegui manter-me no jogo»

Felipe Cunha e Silva, atual 52.º do ranking mundial de juniores, comentou esta segunda-feira a vitória na primeira ronda da competição júnior de Roland Garros, segundo torneio do Grand Slam da temporada. A disputar a variante da prova parisiense pela primeira vez na carreira, o jovem de 18 anos confessou que o nervosismo foi passando à medida que o duelo se foi desenrolando.

“Foi bom. Entrei muito nervoso mas consegui manter-me no jogo e fazer uma boa exibição”, começou por dizer o tenista natural de Cascais, que eliminou na estreia o russo Bogdan Bobrov, número 39 da tabela classificativa de sub-18, pelos parciais de 6-2 e 6-0.

“Estou contente por aqui estar. Foi duro chegar aqui, agora é dar tudo. Fisicamente tenho estado a sentir-me bastante bem. Não tenho estado a sentir mazelas em lugar nenhum. Estou preparado. Estive a semana passada a jogar um torneio na Bélgica, onde consegui ganhar o SE (Special Exempt) para Roland Garros. Foi uma semana boa, para voltar a sentir o nível”, afirmou Cunha e Silva.

A representar inicialmente as cores portuguesas com o jovem Nuno Borges, que saiu eliminado na ronda inaugural, Felipe Cunha e Silva sublinhou o facto de ser importante Portugal ter dois jogadores portugueses na vertente júnior. “É ótimo ter dois portugueses a jogar um torneio destas dimensões. Fico contente por estar aqui com mais alguém. Ambos trabalhámos e lutámos para estar aqui”, afirmou o tenista português.