Djokovic tem número 1 ATP de final do ano quase garantido e só um ‘milagre’ pode evitá-lo

Por José Morgado - Outubro 21, 2020
djokovic-nadal-atpcup

A notícia de que Rafael Nadal não vai jogar o ATP 500 de Viena mas apenas o ATP Masters 1000 de Paris e as ATP Finals trouxe consigo a confirmação quase absoluta de que Novak Djokovic, número um mundial, vai continuar nessa posição até ao final de 2020.

A confirmar-se, Djokovic, de 33 anos, vai fechar uma temporada como líder ATP pela sexta vez na sua carreira, igualando o recorde do norte-americano Pete Sampras e ultrapassando os registos (5) dos rivais e contemporâneos Roger Federer e Rafael Nadal.

Nadal é precisamente o único jogador com hipóteses matemáticas de impedir que Djokovic termine o ano na frente, mas as suas chances são altamente… remotas. O que teria de acontecer para que Nadal terminasse 2020 na liderança do ranking (como em 2019)?

— Nadal precisava de ganhar o ATP Masters 1000 de Paris e as ATP Finals.

E

— Djokovic teria de perder antes das meias-finais em Viena e ainda todos (!) os seus encontros em Londres.

 

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.