Djokovic aborda caso Zverev e sugere à ATP a criação de política contra a violência doméstica

Por Nuno Chaves - Novembro 20, 2020

Novak Djokovic, número um mundial, abordou publicamente, pela primeira vez, as alegadas agressões de Alexander Zverev à sua ex-namorada.

O tenista sérvio fez uma profunda análise da situação. “Ouvi aquilo que aconteceu. Não sabemos o que realmente se passou mas obviamente que vamos averiguar. Conheço o Sascha há muito tempo, desde que é muito jovem e sempre tive uma boa relação com ele. É um bom miúdo. Tenho muito respeito por ele, pela sua família. Sou da mesma idade e geração que o Mischa, o seu irmão mais velho, por isso, fico triste ao ouvir e saber que está a passar por uma coisa destas”, referiu em conferência de imprensa, após ter derrotado, precisamente, o alemão.

Ainda assim, Djokovic pegou neste caso para deixar uma sugestão à ATP. “Uma vez mais, não sei o que aconteceu. Não apoio nenhum tipo de violência. Se a ATP devia ter algum tipo de política para casos de violência doméstica? Por que não? Acho que não fizeram porque simplesmente não tínhamos casos como este na história do ténis. Talvez este caso, de alguma maneira, inspire a ATP a fazer algo”, reforçou.

Zverev admitiu que não sentiu nenhuma diferença de tratamento por parte dos colegas. Djokovic seguiu o mesmo raciocínio. “Que eu tivesse dado conta não. Sempre tive uma muito boa relação com ele. Pudemos passar tempo juntos durante a Adria Tour. Também em privado. Falei com ele de muitas coisas diferentes da vida mas ainda não falei com ele sobre este caso específico. Disse-lhe que estou aqui se precisar de falar. Claro que tem uma grande família e uma equipa de pessoas à sua volta. Lidou bem com isto, em relação aos seus resultados no último mês e meio. Desejo-lhe sinceramente que supere isto depressa e que possa concentrar-se na sua vida e na sua carreira no ténis”, concluiu.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.