Davidovich lembra Estoril Open: «Foi muito bonito e enriquecedor»

Por José Morgado - Maio 1, 2020
Alejandro-Fokina

Alejandro Davidovich Fokina, de 20 anos e número 97 do ranking ATP, é um dos jovens craques do ténis mundial. Agora consolidado no top 100 mundial e de olho numa subida na classificação, o jovem de Marbella viveu à precisamente um ano em Portugal um dos melhores momentos da sua carreira, ao chegar às suas primeiras — e por enquanto únicas — meias-finais no circuito ATP. Pelo caminho, derrotou Taylor Fritz, Jeremy Chardy e Gael Monfils (!) e esta semana recordou essa campanha numa entrevista ao site espanhol ‘Punto de Break’.

“Foi uma enorme subida de adrenalina toda aquela semana. Vínhamos de alguns resultados maus em terra batida, mas o trabalho feito foi recompensado naquela semana. Foi uma experiência muito bonita e enriquecedora pois fui desde o qualifying até às minhas primeiras meias-finais no circuito ATP”, lembrou o andaluz, que gostaria de ter voltado à competição nacional em 2020, mas tal não foi possível.

https:\/\/bolamarela.pt//bolamarela.pt//www.youtube.com/watch?v=u4vNYLvVkcE

Davidovich perdeu com Pablo Cuevas numa equilibrada meia-final, mas assumiu que talvez pudesse ter feito ainda melhor. “Cuevas é um grande jogador, mas eu poderia ter vencido esse encontro. Estava com alguns problemas abdominais e por causa disso não consegui servir como queria. Nunca saberemos como teria sido se eu estivesse a cem por cento, mas ainda assim dei tudo aquilo que tinha”.

E o que tem feito o jovem espanhol em tempos de quarentena? “Faz-se o que se pode. Neste momento apenas tentar manter a forma física ao máximo. O aspeto mental é fundamental por isso há que manter a cabeça e a mente distraídas com algo. Tenho tentado…”

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.