Conselheiro espiritual de Djokovic fala da sua relação com Becker

Por admin - 12 Dezembro, 2016

Prima pela discrição e pela serenidade com que vai ocupando o seu lugar na equipa de Novak Djokovic, mas Pepe Imaz tem agitado, e bem, o barco do sérvio de 29 anos desde que surgiu pela primeira vez no seu camarote, em Paris-Bercy.

Para tentar acalmar as águas, o ex-jogador espanhol, a quem a imprensa chama de ‘guru espiritual’, mesmo depois de Djokovic recusar a alcunha, falou da relação que manteve com Boris Becker, antes de este ser dispensado pelo jogador de Belgrado, na semana passada, 

“Sei exatamente quem é o Boris [Becker], foi uma honra trabalhar com ele”, revelou o especialista em meditação ao jornal El Mundo. “Se o Novak [Djokovic] toma as suas próprias decisões, o que é que eu posso fazer em relação a isso? Vejo o Boris como uma boa pessoa. Ao observá-lo damo-nos conta de como é fantástico”, disse Imaz, negando as informações vinculadas pela imprensa alemã de que seria o responsável pelo fim da relação entre Djokovic e Becker.

Defensor e praticante de uma filosofia assente em ‘paz e amor’, as duas palavras com que batizou a sua academia de ténis, em Espanha, Imaz explica por que razão é uma mais-valia na equipa do número dois mundial. “Quando o Nole parte uma raquete, eu compreendo perfeitamente a atitude. Temos de perceber que não somos perfeitos. Eu também faço muitas coisas de que não gosto. Mas é preciso, o corpo fica mal disposto e é preciso expulsar isso”.

Sobre o que se segue para Djokovic, o ex-número mundial mostra-se esperançado. “Ele está focado no seu caminho, está determinado. Ganhou o Open da Austrália e Roland Garros e seguiu no seu ritmo. Agora, apesar de não ganhar de acordo com o seu nível, ele não desiste. Está concentrado apenas nele próprio. Está em harmonia. O que acontece, acontece nos olhos dos outros”.

“O equilíbrio mental alcança-se com amor. Quando estamos apaixonados não sentimos vontade de comer, porque o amor fornece energia. O amor é a única coisa que é verdadeiramente compatível com tudo”, concluiu Imaz.