Carreño: «Eu sabia o que tinha de fazer mas com Alcaraz a jogar assim…»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Abril 24, 2022

Pablo Carreño Busta entrou na final do ATP 500 de Barcelona mais fresco do que Carlos Alcaraz, mas nem isso fez a mínima diferença na hora de discutir o troféu. O jovem espanhol de 18 anos dominou o encontro e venceu em apenas dois sets, deixando Carreño, seu habitual parceiro de treinos, resignado com o desfecho.

“Conheço-o muito bem e sabia o que tinha de fazer, mas com Alcaraz a jogar assim… Este ano está a um nível muito alto. Ele jogou muito forte na linha de fundo e disparou winners de todo o lado. Era difícil. Precisava de estar muito eficaz para lhe fazer frente. Não estive confortável com a esquerda e o serviço não me ajudou. O jogo das meias-finais foi bom e o objetivo era recuperar essas sensações”, disse, fazendo referência à vitória sobre Diego Schwartzman.

Questionado sobre a questão física, Carreño foi muito direto. “Sabia que ia ser complicado jogar a final mesmo que ele tivesse jogado três horas e tal de manhã porque tem 18 anos. Isso faz com que a vontade, a ilusão e o físico recuperem bem. Espero que nos enfrentemos muitas vezes mais, especialmente em finais”, rematou.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.