As cinco maiores recuperações da temporada no circuito ATP

Por Nuno Chaves - 16 Dezembro, 2018
alex-de-minaur

Durante a temporada foram várias as recuperações que prometem ficar na memória dos espetadores. O ATP escolheu as cinco melhores ‘remontadas’ e o grande destaque para o público português é, inevitavelmente, o quinto classificado.

Eis o top 5:

5.º Nicolas Jarry vs Leonardo Mayer: 3-6, 7-6(7) e 6-4 (1ª ronda do Millennium Estoril Open)

O jogador chileno esteve a perder por 3-6 e 5-6, 0-40, no entanto, conseguiu resistir e avançou para uma vitória bastante suada. Ao todo, salvou qualquer coisa como… seis match points (quatro no 11.º jogo do 2.º set e dois no tie-break).

4.º Adrian Menendez-Maceiras vs Steve Johnson: 1-6, 6-3 e 7-6(7) (1ª ronda do New York Open)

O espanhol pode ser um nome pouco conhecido dentro da modalidade mas protagonizou uma vitória para recordar. No terceiro set, salvou cinco match points: dois a 2-5 e mais três no decisivo tie-break.

3.º Jeremy Chardy vs Fabio Fognini: 4-6, 7-6(2) e 6-4 (2ª ronda do ATP 1000 de Indian Wells)

Quando Fognini está em campo tudo é possível, seja para o bom… ou para o mau. Neste encontro tudo fazia prever uma vitória tranquila do transalpino mas Chardy conseguiu recuperar uma desvantagem de 4-6 e 1-4 (Fognini tinha dois breaks à maior) para seguir em frente.

2.º Marin Cilic vs Novak Djokovic: 5-7, 7-6(4) e 6-3 (Final do ATP 500 de Queen’s)

Corria o mês de junho e Djokovic procurava recuperar a melhor forma. Tudo parecia encaminhado para o regresso aos títulos do sérvio mas Cilic nunca desistiu. Recuperou de 5-7 e 4-5 (salvou match point), acabaria por vencer o tie-break e levar a melhor no terceiro e decisivo set. Depois desta derrota de Nole… começou uma segunda metade de temporada que poucos imaginariam.

1.º Alex De Minaur vs Andrey Rublev: 5-7, 7-6(6) e 6-4 (Meias-finais do ATP 500 de Washington)

Uma autêntica batalha entre dois dos grandes talentos do ténis. Rublev esteve imperial mas De Minaur é daqueles jogadores que nunca desiste. No tie-break do segundo set esteve a perder por 2-6, mas salvou os quatro match points e levou o jogo para uma terceira partida. Na negra ainda recuperou de break abaixo e acabou mesmo por vencer após praticamente três horas de jogo.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.