As 10 maiores surpresas na primeira semana de Wimbledon

Por Pedro Gonçalo Pinto - Julho 4, 2021
raducanu

Já leu sobre as 10 maiores desilusões na primeira semana de Wimbledon? Pois bem, seguimos a viagem neste Middle Sunday com as surpresas, com aquelas caminhadas que se calhar poucos viam a acontecer. Elegemos dez, umas mais consensuais do que outras, restando saber se vão continuar a dar fruto na hora de todas as decisões no All England Club já a partir da Manic Monday.

Emma Raducanu – Com apenas 18 anos, nem os britânicos a conheciam bem, mas a número 338 do ranking WTA vai sair do All England Club como uma estrela. Raducanu está a deslumbrar, já se tornou na britânica mais jovem de sempre nos ‘oitavos’ e quer continuar a sonhar contra Ajla Tomljanovic. Porque não? Já bateu Vitalia Diatchenko, Marketa Vondrousova e Sorana Cirstea…

Hubert Hurkacz – Desde que se sagrou campeão no Masters 1000 de Miami, o polaco eclipsou-se e desatou a ter maus resultados. A questão é que se redescobriu em Wimbledon, ganhou todos os sets disputados até agora e é o único jogador no quadro que ainda não sofreu qualquer break.

Ilya Ivashka – O bielorrusso já está claramente a fazer o melhor torneio da carreira e fez bom proveito de um quadro muito favorável que se foi criando aos seus pés. Bateu Jaume Munar, Jérémy Chardy e Jordan Thompson, mas perdeu apenas um set. Segue-se Matteo Berrettini, no primeiro grande teste.

Sebastian Korda – Havia muitas expectativas, mas a forma como o jovem norte-americano está a ultrapassar todos os obstáculos é notável. Teve de deixar pelo caminho o perigoso Alex De Minaur, antes de bater facilmente Antoine Hoang e de suplantar o perigo de Daniel Evans. Impressionante.

Liudmila Samsonova – Quem é que a vai parar? A bielorrussa está ‘on fire’ desde Berlim, onde conquistou o primeiro título da carreira e simplesmente não abranda. Com um ténis poderoso e cheio de riscos, vai agora desafiar Karolina Pliskova.

Nick Kyrgios – Sem competir há seis meses e com muitos pontos de interrogação, o australiano regressou com uma vitória estrondosa diante de Ugo Humbert, um dos jogadores em melhor forma em relva esta temporada. Ainda superou mais uma ronda antes de não resistir fisicamente diante de Felix Auger-Aliassime.

Karen Khachanov – Tem talento para fazer exatamente o que está a mostrar em Wimbledon, mas parece sempre faltar-lhe algo. Para já, está a riscar todas as caixas e está nos ‘oitavos’ no All England Club pela segunda vez na carreira. Bateu Mackenzie McDonald, Egor Gerasimov e Frances Tiafoe, seguindo-se Sebastian Korda.

Madison Keys – Poucos falam dela, mas parece estar realmente de volta à melhor forma. Katie Swan, Lauren Davis e Elise Mertens não foram rivais à altura da antiga top 10, que agora vai à procura de repetir os quartos-de-final em Wimbledon. Tem ténis para isso e vai defrontar Viktorija Golubic.

Barbora Krejcikova – Como é que uma campeã do Grand Slam chegar aos oitavos-de-final é uma surpresa? Bem, trata-se da estreia de Krejcikova no quadro principal em Wimbledon e parece ter pegado exatamente de onde parou em Roland Garros. Mas vem aí um teste duríssimo: nada mais, nada menos do que Ashleigh Barty.

Ajla Tomljanovic – Em 26 participações em torneios do Grand Slam, a australiana tinha chegado aos oitavos-de-final por uma vez e foi em Roland Garros, há sete anos. Agora, um pouco do nada, aproveitou um quadro que se abriu e entra como favorita devido à experiência no duelo com Emma Raducanu.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.