Antiga número 1 mundial está contra jogos à porta fechada e explica porquê

Por Tiago Ferraz - Maio 5, 2020
victoria-azarenka

A tenista bielorrussa e antiga número um mundial Victoria Azarenka falou ao Tennis.com sobre a saudade que sente de jogar ténis e das consequências que este período pode ter a nível mental.

“Estamos muitos dias a viver uma rotina constante e isto, a nível mental, é muito complicado. Continuo a treinar em casa para não perder a forma física uma vez que não sabemos quando é que o circuito vai regressar. Esta situação causa muita ansiedade e a motivação baixa muito, mas temos que aguentar seja como for”, disse.

A bielorrussa revela ainda que a possibilidade de jogar à porta fechada não é algo que lhe agrade:

“Acho que o ténis sem público não tem emoção nenhuma e muitos tenistas ficariam sem motivação. Muitos jogadores e jogadoras sobem de rendimento quando vêm o apoio do público. Para mim, seria algo muito inovador ir para um court de ténis e não ver ninguém nas bancadas, mas também é verdade que os nossos treinos são à porta fechada e, nesse sentido, seria uma questão de nos habituarmos à situação”, referiu.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.