Antiga estrela júnior norte-americana denuncia abusos sexuais do treinador e processa USTA

Por Pedro Gonçalo Pinto - Março 30, 2022

O nome Kyle McKenzie pode não ser conhecido à primeira vista, mas potencialmente podíamos estar perante uma estrela do ténis. É que em causa está uma tenista norte-americana de 23 anos, que prometeu muito desde cedo, mas que nunca chegou a conseguir vingar a nível profissional. Ora, a grande explicação pode estar nas acusações que McKenzie fez, ao denunciar que foi vítimas de abusos sexuais por parte do seu antigo treinador, Anibal Aranda, sendo que processou também a Federação de Ténis dos Estados Unidos (USTA) porque alegadamente sabia que o técnico tinha antecedentes e ainda assim o atribuiu à tenista e foi conivente com o que se terá passado.

Agora com 23 anos, McKenzie foi recrutada pela USTA para treinar a tempo inteiro na Califórnia quando tinha apenas 12 anos, mas os problemas rapidamente começaram a surgir. Ainda assim, falamos de um tenista que se sagrou campeã nacional sub-16 aos 15 anos e que chegou a disputar o US Open em juniores, tendo sido número 33 do Mundo em sub-19. A questão é que um cenário que apresentava bandeiras vermelhas desde o início se consumou num pesadelo.

“Queria ser uma grande jogadora e sentia que estava na direção certa. Venci vários torneios e derrotei muitas estrelas que agora estão no top 100. Mas não estava pronto para o que me aconteceu nas instalações da USTA em Orlando, na Flórida, em 2018. Foi abusada sexualmente por um treinador que a USTA me atribuiu”, explicou.

O advogado Robert Allard detalhou a situação, revelando que desde o início da estadia de Kylie houve sinais perigosos, mas tudo se complicou de vez nesse dia em Orlando. “Aranda tocou sexualmente em todo o corpo da Kylie e dizia que tinha a ver com umas novas e especiais técnicas de treino que tinha desenvolvido na América do Sul. Depois de semanas de assédio, Aranda atacou ao violar a parte mais privada do corpo da Kylie. Era o suficiente para a Kylie, que saltou e fugiu daquele homem o mais rápido possível”, revelou.

Ora, a questão é que McKenzie denunciou esse ataque de Aranda e a alegada ação da USTA foi ainda pior. De acordo com o advogado, Olá Malmqvist, diretora do ténis feminino da USTA, ligou à tenista a dizer que Aranda tinha pedido desculpa e ainda pediu que McKenzie não contasse o sucedido a ninguém. Além disso, pediu que Kylie dissesse que estava doente se não aparecesse nas instalações. “Cresci no sistema da USTA e confiei neles. Esperava que levassem isto a sério, mas enganei-me”atirou McKenzie. Por isso mesmo, está a processar a USTA.

  • Categorias:
  • WTA
Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.