Ana Ivanovic revela que encontro repetiria e qual a rival mais dura

Por José Morgado - Junho 4, 2020
ivanovic

Ana Ivanovic, uma das tenistas mais populares da última década, passou em revista alguns momentos importantes da sua carreira durante uma entrevista em direto com a austríaca Barbara Schett no Instagram do Eurosport. A sérvia de 32 anos, ex-número um do Mundo e campeã de Roland Garros em 2008, quando tinha apenas 20, revelou que encontro da sua carreira gostaria de repetir.

“Se pudesse escolher, repetia o encontro da final do Australian Open em 2008 diante da Maria Sharapova. Lembro-me que estive a ganhar no final do primeiro set e falhei uma bola muito fácil a meio court. Perdi esse ponto, esse jogo e o encontro escapou-me a partir daí. Sentia-me preparada para ganhar esse torneio depois de perder a final de Roland Garros no ano anterior, com a Justine Henin”, assumiu Ivanovic, que depois viria a ganhar Indian Wells e Roland Garros nos meses seguintes.

Ivanovic surpreendeu, no entanto, na hora de elencar a sua rival mais complicada: não escolheu Serena Williams, nem sequer Justine Henin, mas sim… Karolina Pliskova, com quem perdeu todos os encontros que disputou. “Não havia ninguém que eu detestasse mais defrontar. Não conseguia ler nada no jogo dela, nem o serviço nem as pancadas de fundo do campo. E isso irritava-me bastante porque eu sempre gostei de ler o jogo e construir pontos. Mas com ela não dá”.

Ana, que se retirou com apenas 29 anos, deixou ainda palavras elogiosas para Serena Williams e Kim Clijsters. “A Kim sempre foi uma mentora para mim. Uma das melhores pessoas do circuito. É bom vê-la de volta ao circuito depois de três filhos e a bater tão bem na bola. Estou curioso para perceber como é que o corpo dela vai reagir, porque garanto-vos que não é fácil. Em relação à Serena, é uma questão de perceber quando e não se ela pode chegar ao 24.º Grand Slam. Ela tem estado muito perto. É uma questão mental…

Ivanovic, que na mesma entrevista falou da sua relação com o marido e os filhos, confessou ainda aquilo que sente mais falta no circuito. “É engraçado porque quando era nova eu sentia-me muito intimidada a jogar nos grandes estádios. Agora tenha muitas saudades disso. Por vezes vejo as minhas amigas a jogar na televisão e gostava de estar no lugar delas”.

  • Categorias:
  • WTA
José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.