A infância, a gestão de expetativas e a importância de Toni Nadal: Aliassime abre o livro

Por Nuno Chaves - Agosto 4, 2022

Se há nome de quem se espera muito para o futuro do ténis é o de Felix Auger-Aliassime e, apesar de alguns percalços, o canadiano está cada vez mais integrado entre a elite do circuito mundial. Numa entrevista a um órgão de comunicação mexicano, o número nove mundial falou sobre o passado, presente e futuro.

INFÂNCIA E GOSTO PELO TÉNIS

Já tinha claro que desde os seis ou sete anos que queria ser tenista profissional, o meu pai era treinador, ainda continua a ser treinador e isto sempre foi o meu sonho, nunca mudei de ideias, nunca quis fazer outra coisa. A minha infância foi boa no geral, a minha mãe é do Quebec e o meu pai é do Togo, ambos trabalharam duro como pais para eu e a minha irmã termos uma boa vida. Durante esse tempo ensinaram-nos valiosas lições sobre ética laboral, disciplina e crença em nós mesmos. Não posso estar mais agradecido pelo que os meus pais fizeram por mim, especialmente o meu pai.

COMO LIDAR COM AS EXPETATIVAS

Considero que lidei de uma boa forma porque sempre me mantive fiel a mim mesmo, mantive-me a mesma pessoa e tive sempre pessoas por perto de mim. No final do dia só queres ter uma boa relação com as pessoas que são importantes para ti. A pressão é algo que tenho de lidar e é algo que aprendi nos últimos anos.

TRABALHAR COM TONI NADAL

Diria que mentalmente me deu muita confiança através de conversas, estar em torneios e partilhar tempo comigo. Ele realmente faz-me acreditar que tenho o necessário para alcançar os meus objetivos. Sempre foi muito positivo comigo e, claro, também é graças ao trabalho duro e aos altos patamares que tem como treinador.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.