A estatística brutal que mostra a eficácia de Djokovic rumo a finais de Grand Slams

Por Pedro Gonçalo Pinto - Julho 9, 2022
djokovic-wimbledon-r2

Nesta edição de Wimbledon, Novak Djokovic está a participar pela 68.ª vez num torneio do Grand Slam. E, como foi várias vezes repetido depois do triunfo diante de Cameron Norrie nas meias-finais, prepara-se para disputar a sua 32.ª final num Major, um recorde absoluto na história do ténis masculino.

Contas feitas, dá-lhe 47,1% de finais em Grand Slams, uma percentagem que o deixa no segundo lugar da Era Open apenas atrás de Bjorn Borg, que disputou 16 finais em 28 Grand Slams. Este acesso à final também permitiu a Nole ultrapassar Rafael Nadal (30/65 com 46,2%), enquanto abre vantagem para Rod Laver (6/15, 40%) e Roger Federer (31/81, 38,3%).

Resta agora saber se será capaz de conquistar o seu 21.º Grand Slam da carreira, aproximando-se do recorde que vai permanecendo nas mãos de Rafael Nadal, com 22.

https:\/\/bolamarela.pt//bolamarela.pt//twitter.com/OnlyRogerCanFly/status/1545461129400524800?s=20&t=uWJjR0azf-9B5nJmKSx0dA

A Betano tem mais uma grande missão para ti! Faz uma aposta múltipla (3 ou mais seleções) em qualquer jogo de Wimbledon num valor mínimo de 5€ e caso percas a tua aposta recebes 50% do valor da mesma em Aposta Grátis. Ou seja, se apostares 5€, recebes 2,5€; se apostares 20€, recebes 10€.

Se ainda não estás registado, regista-te aqui e ganha um bónus de 50% até 50€ com o teu primeiro depósito!

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.