O cómico diálogo entre Madison Brengle e a sua treinadora momentos antes de derrotar Serena

Madison Brengle conquistou esta quarta-feira a mais exuberante vitória da sua carreira, ao derrotar Serena Williams rumo aos quartos-de-final do torneio de Auckland, na Nova Zelândia, mas não só de ténis se fez o assinalável desempenho da número 72.º mundial.

Antes de consumar o triunfo diante da sempre temível número dois mundial, a norte-americana de 26 anos manteve uma descontraída e bem-humorada conversa com a sua treinadora, Nicole Melichar, como já vem sendo hábito.

A estratégia de Brengle para não deixar fugir a vantagem era simples: continuar a jogar mal, para não acordar o “monstro competitivo” que mora em Serena.

Brengle: “Achas boa ideia se eu responder ainda pior?
Melichar: “Acho que devias tentar”
Brengle: “Porque se eu bater bem, ela vai pensar, ‘oh, isto é bom’, e a seguir faz um winner”
Melichar: “Exato”
Brengle: “Por isso, é melhor eu jogar mal. Porque acho que ela está surpreendida por eu ser tão má. Ela nunca viu um nível assim”

Brengle levou a melhor por 6-4, 6-7(3) e 6-4 diante da mais nova das Williams, num encontro particularmente ventoso.

Sobre o autor
- Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tanta que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo na Escola Superior de Educação de Viseu e um Secundário dignamente enriquecido por cadernos cujas capas ostentavam recortes de jornais de Lleyton Hewitt. Entretanto ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *