Histórico: João Sousa conquista em Valência segundo título da carreira

João Sousa. O dia, hoje, é, incontestavelmente, do melhor jogador nacional de sempre, que voltou a elevar o ténis nacional a alturas nunca antes experimentadas, ao conquistar no ATP 250 de Valência o segundo título da carreira, depois de em 2013 ter singrado em Kuala Lumpur, Malásia.

Num encontro revestido de alguns nervos, o vimaranense de 26 anos, atualmente na 46.ª posição do ranking, derrotou o mais cotado espanhol Roberto Bautista Agut, por 3-6, 6-3 e 6-4, ao cabo de duas horas e seis minutos, contrariando o resultado alcançado nas restantes três finais disputadas esta temporada.

Mas se o número um nacional terminou a jogar ao nível do que nos foi habituando esta semana na prova espanhola, o mesmo não se pode dizer do início do encontro. O pupilo de Frederico Marques não conseguiu assentar o seu ténis no primeiro parcial e o seu oponente, com grande aproveitamento de primeiros serviços (76 por cento) e grande firmeza do fundo do court, reclamou para si o primeiro set.

O segundo parcial não começou melhor para o vimaranense, que viu o seu serviço quebrado de entrada, mas recusou-se a entregar a vitória ao 24.º mundial e, quando teve o primeiro ponto de break a seu favor, não perdoou. Uma vez no comando do segundo set, Sousa agarrou o encontro, com pancadas seguras, obrigando Bautista Agut, desgastado com a meia-final em três sets, a deslocar-se.

sfh

.

No terceiro set, o jogador de Guimarães, mais confiante do que nunca e cada vez mais certo de que a vitória só dependia de si, manteve o nível e assertividade do segundo parcial para não deixar fugir o segundo título do palmarés, que insistiu em lhe escapar nas últimas cinco finais disputadas.

Bola comprida de Bautista Agut no match point e João Sousa voltava a cair de costas no court, selando mais uma bonita e dourada página na história do ténis nacional, antes de se levantar para festejar junto da sua equipa técnica, amigos e família. Uma valiosa recompensa que será reforçada amanhã, quando o seu nome surgir mais alto do que nunca no ranking mundial ATP: na 33.ª posição.