Oliveira não vai ao Estoril Open e ironiza sobre WC De Minaur: «Estranha forma de ajudar os portugueses…»

Gonçalo Oliveira, número cinco português e atualmente no 214.º posto do ranking mundial, é o único dos oito melhores portugueses do ranking ATP que não se inscreveu para a fase de qualificação do Millennium Estoril Open, único torneio ATP disputado em Portugal. E a razão é muito simples: vai disputar o Challenger de Ostrava, nessa mesma semana, por não lhe ter sido garantido qualquer convite para jogar no Estoril, nem em singulares, nem em pares.

“Quando não entrei na primeira lista, o meu pai [e treinador, Abílio Oliveira] falou com o João Zilhão para saber se me poderia dar garantias de que pudesse jogar no Estoril. Ele não as deu, nem singulares, nem em pares. Não posso dar-me ao luxo de perder uma semana sem jogar”, confessou Oliveira em declarações ao jornal ‘A Bola’.

O portuense, de 23 anos, lamenta essa atitude do diretor da prova. “Poderia pelo menos ter garantido para o qualifying. Por isso, vou antes jogar um Challenger na República Checa”, assegurou.

Oliveira ironizou ainda sobre as palavras de Zilhão, que tem insistido que tentará continuar a ajudar o ténis português e que seria uma mais valia para o torneio nacional ter Novak Djokovic por cá, “nem que fosse para tomar um chá”. “Se ele considera isso, ou atribuir um wild card a um australiano, uma forma de ajudar o ténis português. Estranha forma de ajudar…”

Recorde-se que João Zilhão tem à sua disposição três wild cards para o quadro principal de singulares, dois para o qualifying de singulares e dois para o quadro principal de pares. Dois (Alex De Minaur no quadro principal de singulares e o vencedor do Cascais NextGen Tour no qualifying) já estão atribuídos.

Na sua conta pessoal do Instagram, Oliveira aproveitou para deixar uma mensagem subliminar. “Nunca te contentes com menos do que aquilo que mereces”, pode ler-se.

Never settle for less then you deserve 📷@zezeam

Uma publicação partilhada por Gonçalo Oliveira (@goncalo17oliveira) a