Djokovic e o melhor momento no US Open: «As meias-finais contra o Federer em 2011»

Novak Djokovic está preparado para iniciar a fase de preparação do Open dos Estados Unidos, depois do título em Wimbledon, há uma semana. Ainda no All England Club, em conferência de imprensa, o sério de 31 anos foi desafiado a falar sobre o momento mais especial que viveu no Grand Slam que conquistou em duas ocasiões.

Djokovic apontou as meias-finais em 2011, diante de Roger Federer. “Obviamente que ter vencido os dois troféus, em 2011 e 2015“, começou por dizer o jogador dos Balcãs. “Mas se tiver de escolher uma pancada ou um momento, seria a resposta ao serviço a 15-40, no quinto set diante do Roger, nas meias-finais, em 2011, com dois match points contra, quando fiz uma resposta inacreditável em cima da linha. Foi um momento que se destaca”.

Djokovic viria a ganhar o duelo, na quinta partida, por 7-5, e depois o título, o seu primeiro em Nova Iorque. “O Open dos Estados Unidos, juntamente com Wimbledon, Roland Garros e o Open da Austrália são os maiores torneios que temos”, continuou. É ótimo vermos a forma como os grandes jogadores se têm comprometido a jogar todos os Grand Slam nos últimos 15 anos. O Rafa [Nadal], o Roger [Federer], eu e o Andy [Murray] não perdemos mais do que um ou dois Grand Slams nos últimos 10, 15 anos. Isso é fantástico,acrescenta valor ao torneio”.

O campeão de 14 ‘majors’ é exemplo disso mesmo, tendo perdido apenas um torneio do Grand Slam desde que ingressou no circuito profissional. O Open dos Estados Unidos é reconhecido pelo entretenimento, pelo show, pelas sessões noturnas, pelo entusiasmo do público. E tem o maior estádio de todos. Tenho grandes memórias do torneio. É o torneio onde mais finais perdi na minha carreira, comparativamente com as finais que ganhei. Mas també ganhei dois tírulos, mal posso esperar por voltar. Faltei no ano passado, é o único Grand Slam que falhei desde que sou profissional”, frisou Djokovic,