Katia Guerreiro surpreende João Sousa e entra no court a cantar o Hino

Já com a bandeira de Portugal atada à cintura mas os olhos ainda húmidos pelas lágrimas que não conseguiu conter assim que concretizou o match point, João Sousa preparava-se para erguer o terceiro troféu da carreira, primeiro conquistado perante o seu público, mas outros panos estavam reservados para  melhor tenista português.

O troféu ficou para depois, porque era altura, não de se cantar o fado, mas de se cantar (novamente) o Hino, pela voz da Katia Guerreiro. Com o microfone na mão e a emoção na garganta, a fadista convidou, com um aceno de mão, o público a juntar-se a si.

O desafio foi prontamente aceite pelo público, que, de telemóveis em riste para registar o momento histórico protagonizado pelo número um nacional, ajudaram a fazer deste primeiro domingo de maio memorável.

Sobre o autor
- Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tanta que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo na Escola Superior de Educação de Viseu e um Secundário dignamente enriquecido por cadernos cujas capas ostentavam recortes de jornais de Lleyton Hewitt. Entretanto ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *