Zverev inocentado pelo ATP após acusações de ex-namorada: «Fez-se justiça»

Por José Morgado - Fevereiro 1, 2023
zverev

Alexander Zverev, de 25 anos, tem vivido momentos atribulados na sua vida nos últimos tempos. Não apenas por causa da sua lesão grave que o atirou para fora do top 10 ATP, mas também pela investigação a denúncias de violência doméstica feitas por uma das suas ex-namoradas, a russa Olya Sharipova. O ATP investigou o caso durante mais de um ano e ontem decidiu que o alemão não merece qualquer tipo de penalização, inocentando-o das acusações depois de uma investigação feita por uma entidade independente.

Sem surpresas, Zverev celebrou a decisão, dizendo-se aliviado por ter “sido feita justiça”. Desde o início, mantive a minha afirmação de inocência e neguei as acusações infundadas que foram feitas sobre mim. Apreciei e colaborei plenamente com a investigação do ATP, e agradeço o tempo e a atenção que a organização dedicou a este assunto. Esta decisão vem de um juiz neutro e independente que revisitou todas as informações relevantes e tomou uma decisão clara e informada a meu favor neste assunto. Além da investigação independente do ATP, também iniciei processos judiciais na Alemanha e na Rússia, ganhando ambos. Agradeço que tudo isso tenha se resolvido de vez e a minha prioridade agora é recuperar-me da lesão e focar no que mais amo neste mundo: o ténis. Quero agradecer aos meus amigos, à minha família e aos meus fãs pelo apoio incondicional. Seguimos um longo e árduo processo, mas a justiça finalmente prevaleceu.”

Zverev considerado inocente pela ATP no caso de violência doméstica à ex-namorada

Sharypova, recorde-se, denunciou ter sofrido violência doméstica em diversas ocasiões no ano de 2019, altura em que ainda tinha uma relação com o jogador, nomeadamente, durante o US Open e a Laver Cup. Ainda assim, nunca quis apresentar queixa, referindo que pretendia apenas fazer um ato de libertação pessoal e de partilha com quem estivesse a sofrer o mesmo.

Quanto a Zverev, sempre negou todas as acusações e sempre pediu ao ATP para abrir uma investigação interna, algo que se concretizou apenas vários meses depois das denuncias.

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt