Verdasco: «Joguei a meia-final com Nadal na Austrália em 2009 com uma fissura no perónio»

Por Bola Amarela - Outubro 16, 2021
Verdasco
Foto: Bruno Alencastro/ Bola Amarela

Fernando Verdasco está numa curva claramente descendente da carreira, não só por estar perto de celebrar o 38.º aniversário, mas especialmente pelas lesões que acabaram por lhe complicar – e muito – a vida nos últimos tempos. Agora no 137.º lugar do ranking ATP, o antigo número 7 quer continuar a lutar e deu uma interessante entrevista ao site ‘Punto de Break’, na qual contou um episódio curioso.

Trata-se daquele encontro épico nas meias-finais do Australian Open, em 2009, no qual Verdasco perdeu com Rafael Nadal, por 6-7(4), 6-4, 7-6(2), 6-7(1) e 6-4 em mais de cinco horas. “Em 2011 acabei top 15 porque comecei a ter uma tendinite no joelho esquerdo e isso impediu-me de ter tantos torneios como em 2009 e 2010. As pessoas não acreditam quando conto isto, mas joguei a meia-final com Nadal na Austrália com uma fissura no perónio, algo que arrastei desde o duelo com Murray nos ‘quartos'”, começou por explicar.

E como é que se aguenta isso? “É a adrenalina, a emoção de estar na primeira meia-final de um Grand Slam, ainda por cima contra Nadal, que era número um na altura. O público, a atmosfera… Embora nada tirasse a dor, quando estava quente era como se não houvesse nada. Depois do encontro estive dois dias sem sair da Austrália porque nem conseguia andar. Perdi a eliminatória da Taça Davis contra a Sérvia e só comecei a treinar uma semana antes de Indian Wells”confessou.

Certo é que, mesmo longe da ribalta, Verdasco não vê o fim à vista e traça uma meta a curto prazo, mesmo que implique andar a jogar em Challengers. “Tendo em conta a minha idade e a minha carreira, é complicado estar aqui. Mas eu gosto muito de jogar ténis, mesmo que sejam momentos difíceis em que estou a fazer tudo o que é possível para voltar. Não digo que vou voltar a ser top 10, mas quero recuperar o nível de jogo de outros anos. Sinto que quando o meu corpo estiver melhor, serei capaz de ser competitivo de novo e voltar ao top 100”sustentou.

Bola Amarela