Thiem defende Jarry e Farah da suspensão devido ao doping: «Isto parece-me ridículo»

Por Nuno Chaves - Janeiro 21, 2020
thiem
Foto: EPA

A suspensão de Nicolas Jarry e Robert Farah por terem acusado positivo no controlo antidoping foi um dos grandes destaques da última semana, mas parece que continuam a ter o apoio dos colegas.

Os dois jogadores alegam estar inocentes e Dominic Thiem, que se estreou esta terça-feira no Open da Austrália, partilha dessa mesma opinião. “O Jarry deu negativo no controlo antidoping que lhe fizeram em Paris-Bercy. Depois disso a sua mãe deu-lhe um suplemento vitamínico para a Taça Davis em Madrid. Foi aí que tomou e depois deu positivo. Para mim, tendo em conta toda a história, isto parece-me ridículo”, afirmou o austríaco que se mostra muito por dentro da situação devido a ser treinado por Nicolas Massú, compatriota de Jarry.

Thiem foi até mais longe. “Para começar, ele perdeu 12 ou 13 jogos seguidos. Por isso, desse ponto de vista, não parece o clássico jogador que lhe ajuda dopar-se”, referiu.

O número cinnco mundial atacou também o sistema de antidopagem. “Chega a ser uma farsa tudo isto. Somos tremendamente restringidos. Se nos esquecemos das nossas bebidas em casa, não podemos ir comprar a nenhum sítio, nem sequer a nenhuma loja de suplementos nos Estados Unidos, porque temos medo de consumir produtos contaminados com substâncias proibidas”, concluiu, em entrevista ao The Telegraph.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.