Os recordes que Federer alcançou na temporada de 2018

2018 foi mais um ano de alto nível para Roger Federer, ainda para mais se tivermos em conta que o suíço já conta com 37 anos. Foram vários os momentos inesquecíveis para o campeoníssimo e o site Punto de Break juntou todos os recordes quebrados durante esta temporada.

Talvez os mais mediáticos, Federer, tornou-se no número um mais velho da história da modalidade (na altura tinha 36 anos e 314 dias). Logo no início do ano, o helvético voltou a aumentar o seu recorde de títulos do Grand Slam, ao conquistar o vigésimo no Open da Austrália (Rafa Nadal é segundo com 17 Majors). Mas há mais… muito mais.

Mais recentemente, Federer tornou-se no primeiro jogador da história a estar 1000 semanas dentro do top 100. O suíço tornou-se também no primeiro jogador a acabar pela 14.ª temporada dentro do top 3, o que o coloca igualmente, como o top 3 mais velho da história (37 anos e 119 dias).

Regressando ao Open da Austrália, Federer é também o tenista com mais vitórias em Melbourne (94), ou seja, caso defenda o título em 2019 vai ultrapassar os 100 triunfos. No US Open, apesar de ter sido eliminado nos oitavos de final, estabeleceu o recorde de maior número de presenças em torneios do Grand Slam (74).

Na temporada de relva, apesar de não ter vencido o tão desejado torneio de Wimbledon, Federer venceu em Estugarda e além de ser o jogador com mais títulos nessa superfície (18), é também o tenista com uma melhor percentagem de vitórias na Era Open em relva: 87,13%.

Com um novo título em Basileia, o seu torneio natal, Federer tornou-se no jogador com mais finais disputadas na mesma prova, ao ter jogado na Suíça a 14.ª final. Já nas ATP Finals, Federer (perdeu nas meias-finais) jogou pela 16.ª vez a competição, tendo chegado em 15 ocasiões, pelo menos, às meias-finais.