Kyrgios faz 25 anos: a história do talentoso ‘bad boy’ do mundo do ténis

Por Tiago Ferraz - Abril 27, 2020
nick-kyrgios

Nick Kyrgios completa, esta segunda-feira, 25 anos de idade e, nesse sentido, o Bola Amarela foi à procura de reavivar a memória de todos aqueles que, tal como nós, adoram o ténis do talentoso australiano.

Desde cedo se percebeu que Nick Kyrgios era dono de um talento fora do comum para jogar ténis. Apaixonado por basquetebol desde pequenino foi levado pelo bichinho da ‘bola amarela’ aos 15 anos quando ganhou uma bolsa universitária para ingressar no Australian Institute of Sport.

A partir daí, o talento de Nick Kyrgios começou a emergir e, nesse sentido, importa relembrar um pouco o caminho do polémico e talentoso australiano até ao sucesso que todos lhe reconhecemos nos dias de hoje.

O tenista australiano foi sempre uma figura polémica e causou surpresa, entre outras vezes, quando disse que não gostava de ténis e que só estava ligado à modalidade por influência e pressão da sua família o que, parcialmente falando, foi algo muito positivo para a modalidade porque Kyrgios dá ao ténis algo de que, na minha opinião, estava desaparecido há algum tempo: irreverência, espetáculo, alguns excessos e muito (mesmo muito) talento!

Vi o australiano jogar pela primeira vez, em 2014, quando Kyrgios resolveu dar um espetáculo do outro mundo na catedral de ténis, em Wimbledon claro, frente a um dos melhores tenistas de todos os tempos Rafael Nadal que, na altura, era o número um mundial.

Com apenas 19 anos, Nick Kyrgios estava no seu primeiro ano como tenista profissional e a 1 de julho de 2014 protagonizou, porventura, uma das melhores exibições de carreira, ao bater Rafael Nadal em quatro sets pelos parciais de 7-6(5), 5-7, 7-6(5) e 6-3 num encontro que durou quase três horas e que, honestamente, me deixou agarrado à TV numa tarde de verão em que podia estar, por exemplo, na praia com amigos, mas a minha paixão pelo ténis e pelo torneio de Wimbledon, em particular, falou mais alto. Os banhos de sol ficaram para outra altura.

Nesse sentido, a partir desse dia, mais nenhum amante da modalidade se esqueceu do nome de Nick Kyrgios. Ainda assim, o australiano cedeu nesse ano de 2014 nos quartos de final da prova diante do canadiano Milos Raonic numa batalha decidida em quatro sets pelos parciais de 7-6(4), 2-6, 4-6 e 6-7(4) e falhou um possível encontro com o seu ídolo Roger Federer nas meias-finais.  O australiano foi, de longe, a grande surpresa do torneio de Wimbledon em 2014 uma vez que era o número 144 do mundo na altura e, nesse sentido, só teve acesso ao quadro principal devido a um wild-card concedido pela organização.

Desde essa altura, Nick Kyrgios passou a ser um nome incontornável no mundo do ténis e o seu talento começou a dar frutos…Que é como quem diz títulos: em 2016 o australiano, então com 21 anos, venceu três títulos entre os quais estão o ATP 250 de Marselha, o ATP 250 de Atlanta e o ATP 500 de Tóquio, no Japão, naquele que foi, na época, o título mais importante da sua carreira.

Depois dessas primeiras duas conquistas, Nick Kyrgios teve que esperar mais de um ano para voltar a ter razões para celebrar: a 6 de janeiro de 2018, o australiano conquistou o ATP 250 de Brisbane, na Austrália, ao bater o norte-americano Ryan Harrison para conquistar o seu primeiro título de sempre em ‘casa’ com os parciais de 6-4 e 6-3.

No ano seguinte, o ‘rebelde’ australiano teve mais motivos para festejar e conquistou o seu segundo ATP 500 da carreira, em Acapulco, no México, ao vencer o alemão Alexander Zverev pelos parciais de 6-3 e 6-4 para ficar com uma mão cheia de troféus para mais tarde colocar num museu.

O ano de 2019 foi um ano positivo para o australiano e ficou marcado por mais uma conquista de Nick Kyrgios que voltou a ser feliz ao conquistar o ATP 500 de Washington diante do russo Daniil Medvedev pelos parciais de 7-6(6) e 7-6(4) para juntar mais um título, o sexto, à sua coleção.

A polémica essa…Sempre esteve associada ao seu nome: protagonista de inúmeros episódios polémicos foi já neste ano de 2020 que Kyrgios voltou a fazer das suas…Tudo aconteceu na ATP Cup quando o australiano resolveu ir para a bancada torcer…Contra Novak Djokovic.

Ainda assim, nos últimos tempos, Nick Kyrgios tem dado que falar e pelas melhores razões. Numa altura em que os circuitos profissionais estão parados devido à pandemia de coronavírus, Kyrgios deixou uma mensagem nas suas redes sociais onde afirmou que ia  ajudar os mais necessitados ao oferecer comida e bens alimentares porta a porta algo que…Veio a cumprir num excelente momento que também noticiamos.

Nesse sentido, não podemos negar que estamos perante um tenista de enorme qualidade que, quando quer jogar ténis, é capaz de nos deixar colados ao ecrã e completamente rendidos ao seu ténis.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.