Kyrgios e as dificuldades da covid-19: «Não conseguia sair da cama e não podia respirar»

Por Nuno Chaves - Janeiro 18, 2022
kyrgios-covid
Foto: EPA

Nick Kyrgios regressou à competição com uma vitória, num encontro que teve muito espetáculo seja durante ou após o final da partida.

Esta foi a estreia do australiano na temporada de 2022, já que na semana passada testou positivo à covid-19. A sua participação no Australian Open até chegou a ser colocada em causa, ainda para mais, porque os sintomas… foram fortes.

“Foi muito forte. Antes treinava quatro e cinco horas por dia e sentia-me genial. Com a covid, nem conseguia sair da cama. Não podia respirar, não parava de tossir. Estive muito mal. Pensava que estava num estado de forma brutal e deu-me muito forte. Para todos os que estão a passar por isto, desejo o melhor. Não me sinto ainda a 100% mas não vou usar isso como desculpa”, explicou em conferência de imprensa.

Sobre a sua estreia, Kyrgios confessou que o facto de ter tido covid lhe deixou mais nervoso. “Eram muitos nervos, muita pressão. Há uma semana tive covid e não foi fácil. Quando percebi que era positivo, sabia que tinha uma semana de quarentena pela frente e essa não é a melhor preparação, já que nem podia ver o meu fisioterapeuta. Estou encantado pela forma como reagi. Joguei de forma impecável, controlei tudo. Fui genial. Tenho tido muito sucesso a jogar contra esquerdinos em Grand Slams. Só perdi na minha vida contra um esquerdino num Grand Slam: Nadal”.

Na próxima fase, Kyrgios vai ter pela frente um destro e, curiosamente, o australiano até lidera o confronto direto por 2-0. Será um tal de Daniil Medvedev.

 

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.