Kyrgios arrasa outros tenistas em carta aberta: «Não se pode andar a dançar em cima das mesas»

Por José Morgado - Agosto 2, 2020
nick-kyrgios

Nick Kyrgios é um dos mais recentes nomes de relevância do ténis mundial a confessar que não vai competir no US Open, que arranca dentro de menos de um mês em Nova Iorque. O australiano de 25 anos informou o Mundo dessa decisão numa espécie de carta aberta, que leu para um vídeo colocado nas redes sociais. Kyrgios explica a sua decisão e deixa muitas críticas aos seus colegas que considera terem sido egoístas num período tão delicado como este. Nick não aponta nomes, mas os alvos são fáceis de identificar…

MENSAGEM COMPLETA:

“Querido ténis,
Vamos respirar e lembrar aquilo que é realmente importante, que é a saúde e a segurança enquanto comunidade. Podemos reconstruir o nosso desporto e economia, mas nunca poderemos recuperar as vidas perdidas. 
Não tenho quaisquer problemas com o facto de USTA organizar o US Open. E se os jogadores querem ir, é sua responsabilidade. Desde que todos ajam de forma própria e com segurança. Ninguém mais do que eu deseja que os empregos se mantenham. Falo do rapaz que trabalha no restaurante, dos empregados de limpeza e os responsáveis pelo balneário. Estas são as pessoas que mais necessitam que os seus empregos voltem. 
Mas tenistas, há que agir pelo interesse de todos e trabalhar em conjunto. Não podem andar a dançar em cima das mesas, ou a ganhar dinheiro pela Europa, ou a tentar ganhar dinheiro rápido organizando torneios de exibição. Isso é extremamente egoísta. Pensei por uma vez que seja nas outras pessoas. Este vírus também é sobre isso. Hajam com responsabilidade.
Não vou jogar o US Open. Dói-me o coração, mas fico de fora pelas pessoas, pelos meus australianos, pelos milhares de norte-americanos que perderam as suas vidas, por todos vós.”

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.