Jim Courier: «Para alguns tenistas, a reforma é como a morte»

jim-courier

Muitos tenistas não sabem aquilo que pretendem fazer quando se retiram da modalidade. Jim Courier, numa entrevista ao site australiano The Age, falou sobre esse tema e garante que para alguns jogadores, a reforma é igual… à morte.

“Para alguns jogadores, retirar-se é como a morte, mas para mim não foi assim. Foi o começo de algo totalmente novo. Durante a minha etapa como tenista deixei de lado muitas que gostava, como fazer ski, ir a concertos ou jogar basquetebol, algo que enquanto tenista não é muito recomendável. Depois de anunciar a minha retirada, decidi fazer todo esse tipo de coisas e desfrutei imenso”, afirmou o norte-americano.

Courier, que se retirou com apenas 29 anos, garante que foi a melhor opção. “Retirei-me muito jovem e desde aí não pararam de acontecer coisas. Comecei uma carreira de comentador em televisão, onde tive a sorte de estar 18 anos. Joguei no Champions Tour e também sou capitão dos Estados Unidos na Taça Davis”, atirou o antigo jogador.