Fritz e um dia que jamais vai esquecer: «Conseguir contra o meu pai é ainda mais especial»

Por Nuno Chaves - Janeiro 22, 2022

Taylor Fritz viveu este sábado um dos momentos mais especiais da sua carreira, ao estrear-se nos oitavos de final de um torneio do Grand Slam.

E foi um momento ainda mais especial porque, de acordo com o próprio, a vitória aconteceu contra um dos seus maiores pilares dentro do circuito: Roberto Bautista Agut, que até o define como ‘pai’, ironizando com o facto de agora ter duas vitórias em… sete encontros com o espanhol. “Significa muitíssimo para mim e fazer contra alguém que foi praticamente meu pai durante toda a minha carreira profissional é ainda mais especial”, referiu em conferência de imprensa.

“É um triunfo enorme. Parece estúpido mas depois de ganhar o encontro estava quase a chorar. Parecia estúpido porque muita gente consegue alcançar a segunda semana de um Grand Slam mas é algo que parecia não querer acontecer há muito tempo. Tive jogos duros com quadros muito difíceis. É algo que esperava há muito tempo”, explicou o norte-americano.

Fritz deu ainda um ponto de vista muito pertinente sobre a importância do ranking para chegar à segunda semana. “Estava fixo entre o lugar 25 e 32 do ranking. Dizia às pessoas que para fazer uma quarta ronda de um Grand Slam era melhor ir sem ser cabeça-de-série que estar entre 25 e 32. Se estás entre 25 e 32 vais ter melhores oportunidades de chegar à terceira ronda mas depois enfrentas um jogador do top 8. Agora talvez seja mais fácil ganhar mas nos últimos anos foi sempre o Djokovic, Nadal e Federer. Sabia que precisava de estar entre os 17/24 melhores para ter mais oportunidades. Estou orgulhoso. Não foi fácil”, concluiu Fritz, que atualmente ocupa o 22.º lugar do ranking mundial

Certo é que na luta por uma inédita presença nos quartos de final, Fritz vai defrontar um membro do top 4: Stefanos Tsitsipas.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.