Fognini: «Não estou a 100 por cento e vêm aí torneios mais importantes»

Por Susana Costa - Abril 30, 2019

Depois de treinar num dos courts mais resguardados do Millennium Estoril Open, Fabio Fognini, principal favorito ao triunfo, passou pela sala de imprensa do Clube de Ténis do Estoril para comprovar o que seria de esperar: o desgaste físico, no rescaldo da conquista do maior torneio da carreira, o Masters 1000 de Monte Carlo, Mónaco.

“Tenho de ser sincero, não estou a cem por cento”, começou por revelar o italiano de 31 anos, adiantando que está a trabalhar com o seu fisioterapeuta para chegar nas melhores condições a quinta-feira, dia de estreia na prova portuguesa.

O desgaste é inegável, mas o número 12 mundial garante estar “a melhorar de dia para dia”, frisando que “há torneios mais importantes depois deste”. Está, no entanto, “preparado para enfrentar mais uma semana. Tinha muita vontade de jogador depois de ser campeão em Monte Carlo”.

Isento da primeira ronda, graças ao estatuto de segundo cabeça-de-série, Fognini vai defrontar na segunda fase o verdadeiro ‘lucky loser’ desta edição da prova ATP 250, Pablo Cuevas, que derrotou, nesta terça-feira, o jogador que o tinha afastado na última ronda do qualifying. O uruguaio entrou no quadro principal após a desistência de Filip Krajinovic.

Susana Costa
Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tal que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo e um Secundário dignamente enriquecido com caderno cujas capas ostentavam recortes de jornais do Lleyton Hewitt. Entretanto, ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.