Dzumhur ameaçou Carlos Ramos em Lisboa: «Vou fazer queixa»

Por Bola Amarela - Outubro 14, 2020

Damir Dzumhur, antigo top 25 mundial, foi eliminado esta terça-feira na primeira ronda do Lisboa Belém Open, challenger no CIF, ao perder em dois sets com o maiato Nuno Borges, num encontro que acabou por ficar marcado por uma reta final de primeiro set muito tensa.

O bósnio, que passou todo o primeiro set a ‘praguejar’ na sua língua materna na direção dos seus acompanhantes, ‘passou das marcas’ quando gritou ‘Vamos’, em bom português, na cara do jogador português, obrigando à intervenção do árbitro Carlos Ramos, que tentou acalmar as hostes. “Joguem ténis. Deixem as vossas raquetas falar por vocês”, disparou o juiz. Borges reagiu bem à advertência, mas Dzumhur não.

Depois de perder o primeiro set, Dzumhur chamou o Supervisor da prova e atirou-se a Ramos. “Nunca mais fales para mim na minha vida, estás a tentar enervar-me”, disse entre sets, antes de atirar algumas ameaças após ver consumada a derrota. “Vou fazer queixa de ti. Vais ver. Vou fazer queixa. Não fazes ideia. Felizmente não tenho de te apertar a mão”.

Nuno Borges falou em conferência de imprensa sobre aquilo que se passou no court. ““Ele estava muito nervoso durante todo o set, não parava de falar e achou a certa altura que eu disse uma coisa com o intuito de insultar e não foi. Ele disse um ‘vamos’ na minha cara e eu perguntei-lhe se estava tudo bem. O Carlos Ramos meteu-se e disse-me que eu não tinha feito nada de mal. Ele quis discutir, chamou o supervisor, mas não teve razão. Mas compreendo que por vezes possa ser frustrante jogar ténis, não o julgo por isso”, garantiu, antes de assumir que ficou feliz por não encontrá-lo depois da partida. “Fiquei feliz por não encontrá-lo no balneário porque estava com medo que ele quisesse arranjar problemas.”

Bola Amarela