Djokovic imperial nos momentos importantes segue para a 30.ª final de Grand Slam da carreira

Por José Morgado - Julho 9, 2021
djokovic-wimbledon-2021

Novak Djokovic, número um do Mundo, qualificou-se esta sexta-feira para a sua 30.ª final de Grand Slam da sua carreira — está a uma do recorde (31) de Roger Federer –, ao carimbar o passaporte pela sétima vez para o encontro de discussão do título de Wimbledon, prova na qual procura um sexto título, terceiro consecutivo depois dos alcançados em 2011, 2014, 2015, 2018 e 2019. Nole iguala Pete Sampras, Boris Becker e Arthur Gore.

O sérvio de 34 anos, à procura de vencer todos os Grand Slams em 2021 e de igualar já em Wimbledon o recorde de 20 de Roger Federer e Rafael Nadal, derrotou nas meias-finais de Wimbledon o canadiano Denis Shapovalov, de 22 anos e número 12 mundial, por 7-6(3), 7-5 e 7-6(5). Shapovalov foi melhor do que Djokovic em muitos momentos do encontro, mas a classe e maior experiência do sérvio veio sempre ao de cima nos momentos decisivos de cada um dos parciais.

Djokovic, que salvou 10 dos 11 break points que enfrentou, vai defrontar na final de domingo o italiano Matteo Berrettini, número 9 do Mundo, naquele que será o terceiro encontro entre os dois. O sérvio venceu os dois anteriores, o último dos quais nos quartos-de-final de Roland Garros, há um mês.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.