Del Potro confessa luta: «Tinha de deixar de pensar no ténis e recuperar o meu bem-estar»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Setembro 21, 2022

Juan Martín Del Potro já está retirado, depois de ter voltado em Buenos Aires apenas para jogar o último torneio da sua carreira. O argentino faz uma análise a tudo o que foi sentindo nesse momento, mesmo numa altura em que ainda procura perceber o que vem a seguir na sua vida

O PÓS-CARREIRA

Não estou preparado para o dia do depois, não sei o que isso é. Não faço ideia do que outros desportistas fizeram nesta situação. Tentei recuperar durante todo este tempo, mas Buenos Aires foi o limite. Desde então e até ao dia de hoje, estou no processo de pensar como seria a minha vida sem ténis. Estou em busca de outras coisas.

NOVAS PRIORIDADES

Custou-me muito tomar a decisão de jogar em Buenos Aires. Foi um momento de alívio e de quebra na minha vida. Nunca pensei nesse momento em quase três anos, tinha sempre a mente em recuperar e voltar, até que cada vez via que era menos possível. Procuro um tratamento agora para melhorar a minha qualidade de vida, não para voltar a competir. Estava a fazer mal a mim próprio. Ia à rua e as pessoas perguntavam quando ia jogar em vez de se preocuparem como estava. Tinha de estar ativos nas redes, sempre com mensagens de otimismo. Tinha de deixar de pensar no ténis e recuperar o meu bem-estar. Quero viver bem e sem dores.

JOGAR CONTRA SINNER OU ALCARAZ

Adorava tê-los defrontado, mas só agora estão a formar. Vi o Alcaraz-Sinner dos quartos-de-final do US Open e pensei ‘um jogador experiente ou de top podia complicar-lhes tanto a vida…’. É parecido ao que me acontecia nos primeiros encontros com Roger Federer. Eles nunca variaram as pancadas. Faz parte da aprendizagem, são dois fenómenos.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.