De volta ao top 30, Tsonga recorda a fase da época em que jogou Challengers para recuperar confiança

Por Nuno Chaves - Novembro 2, 2019

Jo-Wilfried Tsonga provou esta semana no ATP 1000 de Paris o porquê de ter estado vários anos no top 10, já que alcançou os quartos de final, perdendo apenas para Rafa Nadal.

O francês, que jogou dois torneios Challengers em setembro para recuperar alguma da melhor forma, realçou a importância dessa decisão na sua carreira. “Ao jogar Challengers recordei as razões pelas quais ainda continuo a jogar ténis. Muitos tenistas usaram este tipo de torneios para se reencontrarem e voltar ao nível que mostraram em anos anteriores”, admitiu durante a semana em Paris.

“Voltar a jogar este tipo de torneios fez reencontrar-me com o meu passado e a proximidade com o público existente nos torneios Challenger é muito diferente no circuito ATP”, confessou Tsonga, que vai regressar ao top 30 do ranking mundial, esta segunda-feira.

Recorde-se que esta estratégia tem sido utilizada por vários jogadores de topo que regressam à competição. Além de Tsonga, Andy Murray ou Kei Nishikori foram alguns dos exemplos mais sonantes.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.