Conheça o conceito do Madrid Open virtual que arranca a 27 de abril

Por Tiago Ferraz - Abril 22, 2020
Madrid-Open

O Bola Amarela está sempre atento aos comentários de quem nos lê e, nesse sentido, reparamos que muitos dos nossos leitores ainda tem dúvidas sobre o que é o Madrid Open virtual e o modo como se processará.

Ainda tem dúvidas sobre o conceito? Nós damos uma ajuda: Madrid Open virtual é um torneio pensado pela organização do Mutua Madrid Open, isto é, o Masters 1000 de Madrid, que pensou em organizar o torneio, que em condições normais jogar-se-ia no próximo mês de maio, numa consola de videojogos (daí o nome “Madrid Open Virtual”) com o objetivo de promover a proximidade possível à modalidade que nos apaixona numa altura em que o confinamento social e o coronavírus impedem os tenistas e os apaixonados pela modalidade de jogar e ver ténis ao vivo e/ou pela televisão.

O torneio vai decorrer entre os dias 27 e 30 de abril e será jogado com a ajuda do videojogo Tennis World Tour. 

Com efeito, nos últimos dias, têm sido conhecidos muitos nomes que vão marcar presença no torneio: os primeiros nomes a serem anunciados foram Andy MurrayLucas PouilleCarla Suárez Navarro e Angelique Kerber.

Seguiram-se, Rafael Nadal e Kiki Bertens, o maior campeão da história da prova e a vencedora da última edição feminina jogada dentro do court, e estão ainda garantidas as presenças de Fiona Ferro e John Isner.

David GoffinKaren KhachanovGenie Bouchard e Kristina Mladenovic também vão marcar presença no torneio sendo que Alexander ZverevDiego SchwartzmanElina Svitolina e Johanna Konta também vão testar as suas capacidades no comando da consola.

Gael Monfils e Fognini vão lá estar juntamente com Madison Keys e Victoria Azarenka. Frances TiafoeDavid FerrerBelinda Bencic e Sorana Cirstea também estão confirmados.

O diretor da prova (real) Feliciano López explicou o conceito nas plataformas oficiais do torneio madrileno: “Desde que anunciamos que o Madrid Open não poderia jogar-se nas datas inicialmente previstas, temos trabalhado para pensar como poderíamos aproximar o ténis de todos os fãs. O nascimento do Madrid Open virtual Pro procura reafirmar o caráter tecnológico, jovem e inovador que têm marcado os passos do torneio desde 2009 e responde às circunstâncias atuais. Sem a necessidade de sair de casa, organizamos uma competição entre os tenistas profissionais que será o mais próxima possível com o Mutua Madrid Open convencional (a prova oficial). Além disso, temos um objetivo que vai muito além do entretenimento: queremos contribuir com algo nestes momentos tão difíceis para todos”, afirmou o espanhol ao sítio oficial do Mutua Madrid Open.

O presidente da ATP Tour, Andrea Gaudenzi reagiu à iniciativa e mostrou-se agradado com a ideia:

“O Mutua Madrid Open Virtual Pro será o primeiro torneio online do circuito ATP que oferece aos tenistas e aos fãs uma nova e emocionante forma de ter contacto com a nossa modalidade”, salientou.

Steve Simon, presidente da WTA também já reagiu: “Isto é uma vitória para todos: Para o Mutua Madrid Open, para os tenistas e para os adeptos. Estamos, especialmente, contentes que as receitas obtidas nesta iniciativa vão contribuir para o apoio dos restantes tenistas que estão numa situação complicada nestes momentos tão difíceis. A WTA quer agradecer ao evento por esta iniciativa. Estamos com vontade de ver o início deste torneio virtual que pode servir como uma divertida forma de entretenimento, mas também para ajudar a diminuir os estragos assim que o ténis regresse uma vez que ajuda as tenistas mais necessitadas”, disse.

O Mutua Madrid Open Virtual jogar-se-à com 16 participantes de cada variante (masculina e feminina) que estarão divididos por quatro grupos. O torneio terá um fim solidário já que terá cerca de 150 mil euros a serem doados por ambos os quadros sendo que os vencedores das respetivas variantes poderiam definir o valor que vão doar aos tenistas com mais dificuldades económicas. Há também um montante avaliado em 50 000 euros que iria diretamente destinado à redução do “impacto social da pandemia de Covid-19”.

 

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.