Berrettini não quer ajudar os colegas: «Prefiro ajudar um hospital»

Por Tiago Ferraz - Maio 11, 2020
matteo-berrettini

Matteo Berrettini mostra-se reticente em ajudar os colegas de profissão em dificuldades devido à pandemia de coronavírus à semelhança, por exemplo, de Dominic Thiem.

“Falei com o Djokovic e ele disse-me que não era obrigatório participar (na recolha de fundos para os jogadores). Sinceramente prefiro ajudar noutro género de situações como um hospital ou uma família que necessita de dinheiro para sobreviver em vez de ajudar um tenista. É claro que muitos tenistas precisam de ajuda e que, neste momento, estão a passar por dificuldades. É muito positivo para o ténis que haja jogadores que se preocupam com outros colegas de profissão que estão em situações mais complicadas”, disse, citado pelo Punto de Break.

O tenista italiano e número oito mundial está pouco otimista quanto ao regresso do ténis e diz que a modalidade deve ser das últimas a regressar:

“O campeonato de futebol italiano só se joga em Itália. O ténis, por outro lado, é um circuito internacional e, provavelmente, vamos ser os últimos a voltar à normalidade  uma vez que somos muitos tenistas de diversos países e cada um viveu esta fase de uma forma distinta. No futebol, se houver cuidados, não terão problemas. Não há dúvida que há muitos interesses económicos à volta do desporto. No ténis, poderia criar-se um circuito nacional em que só joguem tenistas locais. Já está a fazer-se isso em muitos lugares. Pode ser uma solução a curto prazo”, revela.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.