Australian Open apresenta uma nova superfície já a partir de 2020

Por Nuno Chaves - Julho 26, 2019

É mais uma mudança no Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada. A partir da próxima temporada, a competição australiana vai contar com uma nova superfície – a tradicional cor azul vai manter-se, tal como o piso rápido, apenas a constituição do court será diferente.

Desta forma, o Plexicushion (em vigor desde 2008), superfície baseada em acrílico e que tinha como principais características a existência de partículas de látex, borracha e plástico, vai ser substituída pelo Greenset, através do Greenset Worldwide, uma empresa do espanhol Javier Sánchez Vicario. A principal razão desta mudança está no facto de, nos últimos anos, terem surgido muitas críticas relativamente à pouca velocidade dos courts.

Mas afinal quais serão as grandes diferenças de um piso para o outro? “As características principais vão manter-se. Vai continuar uma superfície acrílico e acolchoado, mas o processo de instalação vai ser muito mais detalhado e intenso, com o objetivo de ter uma qualidade mais alta e apta para o jogo”, afirmou Craig Tiley, presidente do Tennis Australia.

De referir, que estas alterações vão ser implementadas em todos os torneios do verão australiano – que correspondem ao início de cada temporada. A Greenset Worldwide, refira-se, já está implementada no circuito mundial, uma vez que trata dos courts das ATP Finals, Masters 1000 de Paris, esteve nos Jogos Olímpicos de 2016 e estará nas Davis Cup Finals de Madrid.

Esta é a quarta vez que o Australian Open muda de superfície: de 1905 a 1987 foi jogado em relva, de 1988 a 2018 no Rebound Ace e de 2008 a 2019 no Plexicushion. Segue-se o GreenSet.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.