Murray conta reação de colega quando anunciou Mauresmo: «Disse-me que no dia seguinte eu devia dizer que era treinado por um cão»

Por admin - 23 Agosto, 2017

Andy Murray, número dois mundial, é um verdadeiro feminista dentro do circuito masculino. O escocês de 30 anos, que sai constantemente em defesa do circuito feminino (e das suas jogadoras) em conferência de imprensa, relembrou o tempo em que, em 2014, decidiu tornar-se num dos primeiros tenistas de topo da história a contratar para a sua equipa técnica… uma mulher: Amélie Mauresmo.

“Quando decidi anunciar em conferência de imprensa que ela seria a minha nova treinador, recebi a mensagem de um jogador, que agora é treinador, com a seguinte frase. ‘Estou a ver o jogo que estás a fazer com a imprensa. Amanhã deverias dizer que vais ser treinado por um cão’. Isto é o tipo de coisas que as pessoas diziam sobre a nossa parceria”, disparou o britânico, em entrevista à ‘Elle’.

Num trabalho que versa sobre o machismo no desporto, Murray lembrou algumas exceções, como Roger Federer, que sempre elogiou Mauresmo, mas garante que a francesa nunca teve margem de erro. “Ela foi muito mais criticada do que qualquer outro treinador que eu tenha tido. Disso não há dúvidas”.