Aliado de Djokovic, Pospisil admite: «Agora não sou muito querido no ATP»

Por José Morgado - 9 Agosto, 2019

Vasek Pospisil, antigo campeão de Wimbledon em pares, está a voltar ao circuito depois de quase um ano lesionado, mas tem-se mantido muito ativo nos bastidores do ténis mundial. O canadiano de 28 anos é membro do ATP Player’s Council e um dos principais aliados do seu presidente, Novak Djokovic. Tal como o sérvio, Pospisil apoiou a não recondução de Chris Kermode no cargo de presidente do ATP, por considerar que o britânico não fez o suficiente pelos jogadores a partir da 50.ª posição do ranking, considerando que sempre priorizou os torneios e o dinheiro que estes fazem face aos tenistas.

O antigo top 25 de singulares assume que as suas opiniões têm gerado algum desconforto junto dos seus colegas e, especialmente, do ATP. “Atualmente creio que não sou o tenista mais querido para o ATP. Eles não gostam que eu ande a dizer o que digo. E alguns tenistas que estão acima de mim no ranking também não gostam, porque a situação não lhes toca tanto”.

E o que tem andado a dizer Pospisil? “Tenho pedido transparência no ténis. Ninguém sabe quanto dinheiro os Grand Slams e os torneios fazem connosco, mas estou seguro de que é muito superior ao que pagam aos jogadores. Sugeri uma greve, um boicote e tentaram assustar-me dizendo que isso seria ilegal”.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.