A um mês de completar 30 anos, Sousa admite: «Evoluir é como uma droga»

Por José Morgado - Fevereiro 7, 2019

João Sousa está prestes a celebrar o 30.º aniversário e diz ambicionar jogar a um nível cada vez mais elevado e aproximar-se dos jogadores que dominam o ténis mundial nos anos que lhe restam no circuito ATP.

“Gostava de ser melhor jogador, tentar jogar melhor contra os melhores do Mundo, como já o fiz muitas vezes, mas sentindo estar mais próximo do nível deles e que os posso vencer, como já aconteceu também. Acho que é a ambição de todos os jogadores, poder fazer bons resultados e evoluir. É como se fosse uma droga, sentir-se jogador, a jogar bem, competitivo… é o que mais desejo e ambiciono“, confessou, em declarações à agência Lusa.

Longe de “imaginar quantos anos lhe restam de circuito”, o vimaranense, 39.º do ranking’mundial, assegura que vai “continuar a jogar enquanto o corpo permitir, tiver vontade de competir, de estar no circuito e apreciar o estilo de vida” que tem. “Enquanto estiver bem fisicamente, motivado e com vontade de melhorar e jogar ténis, vou continuar. Não sei se por mais dois ou quatro anos. Mas o meu objetivo é jogar por mais alguns anos”, afirmou o número um português.

Sousa saiu de casa dos pais em Guimarães aos 15 anos para apostar numa carreira profissional e, embora tenha passado metade da sua vida em Barcelona, onde reside desde então e conheceu a sua namorada há cerca de 10 anos, é em Portugal que se imagina a plantar o seu futuro. “Sempre tive o objetivo de voltar e estar mais próximo da minha família, não sei se em Guimarães ou se em Lisboa, por exemplo, mas quero voltar para Portugal. Imagino-me casado, com filhos, dois ou três, e oxalá possa estar ligado ao ténis. Não sei se com uma Academia, se como selecionador nacional, se como treinador, mas quero manter-me ligado a esta modalidade que amo e à qual posso transmitir alguma coisa da minha aprendizagem”, projetou.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.