Michelle: «Tem sido difícil encontrar motivação para continuar, mas jogo porque ainda acredito em mim»

Michelle Larcher de Brito garantiu esta quinta-feira a qualificação para os quartos-de-final do torneio de Dothan e no final do encontro falou sobre como se sentiu e fez ainda uma longa retrospectiva daquilo que têm sido os seus últimos meses… e anos.

“Ela jogou muito bem no primeiro set e demorei algum tempo a entrar em jogo. Felizmente acordei a tempo no segundo set. Ela tem um grande serviço, é alta, bate na bola com força e tentei manter-me baixa, devolver com a mesma potência e colocá-la a mexer”, confessou a portuguesa, que admitiu ter subido o nível após algumas discussões com o árbitro. “Sou muito emotiva, nem sempre me comporto bem em court, mas por vezes preciso apenas de algo para me animar e motivar. Discutir com os árbitros não é bom, mas ajudou a animar-me.”

Michelle admite que ganhar encontros em Dothan é muito importante. “Significa muito. Cada ponto agora conta. Estou a tentar qualificar-me para Roland Garros. Estou perto, mas não o suficiente. Foi muito duro recuperar de lesão, mas voltar a ganhar encontros é muito importante para mim”, confessou.

A portuguesa, que está fora do top 200 há um ano e meio, confessa que não tem sido fácil arranjar motivação para continuar a sua carreira, que já leva 10 anos. “Tem sido difícil encontrar a motivação para continuar. O circuito ITF não é fácil. Temos de viajar, semana sim, semana não, passar tempo sem a família. Mas eu continuo a jogar porque acredito em mim. Dentro de mim eu acredito que ainda posso chegar lá. Continuo a lutar por isso.”

O que tem faltado no seu jogo e precisa de recuperar? “O meu foco é tentar recuperar o meu espírito lutador. Tenho-o perdido um pouco. Quero acreditar em mim e chegar ao qualifying de Roland Garros. Se não conseguir terei ainda o resto do ano todo pela frente.”

Os tempos em que aos 15 anos era a ‘Next Big Thing’ do ténis mundial também não foram esquecidos. “Foi muito complicado. Com 16 anos cheguei ao top 100, mas depois havia uma regra do WTA que nos impedia de jogar muitos torneios e no ano seguinte não defendi pontos nenhuns e dei um grande tombo. Tive sucesso muito nova e muito rapidamente. Foi complicado manter-me nesse nível. Agora estou de volta, quero manter-me saudável e jogar bom ténis”

Sobre o autor
- Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *