Vajda: «Vencer Wimbledon é a maior surpresa de todos os anos como seu treinador»

Marian Vajda voltou para a equipa de Novak Djokovic para viver um dos momentos mais surpreendentes da sua carreira enquanto treinador. Ver o seu jogador conquistar Wimbledon sem que nada (ou pouca coisa) o fizesse prever. Em entrevista ao Match Tenis, o técnico eslovaco de 53 anos confessou que ver o sérvio de 32 anos sagrar-se tetracampeão no All England Club estava fora dos planos, depois de uma desoladora derrota nos quartos-de-final em Roland Garros.

“Não esperava ganhar Wimbledon, é a maior surpresa de todos os anos como seu treinador”, confessou Vajda. “Durante todos estes anos em que trabalhámos, esperávamos que fosse número um e que pudesse ganhar Grand Slams, mas este foi muito inesperado”, reiterou.

Vajda falou ainda do embate com Rafael Nadal nas meias-finais. “Não acreditei que ele conseguisse derrotar o Rafael Nadal. Ele estava mentalmente muito melhor, vinha da vitória num Grand Slam e chegava melhor às meias-finais, mas o Nole foi assombroso mentalmente. Teve mais coragem, tomou a iniciativa e o triunfo aconteceu”.

Tendo saído da equipa de Djokovic, em abril de 2017, quando o campeão de 13 títulos do Grand Slam atravessava uma fase atribulada da sua carreira, Vajda foi repescado há um par de meses. “Gosto de estar em casa com a minha família, traz-me tranquilidade, despreocupada. Aproveitei muito e estava muito feliz por poder descansar. A decisão de nos separarmos foi dele e tive de lidar com isso. Ele tomou a decisão de se afastar da equipa e de suportar tudo sozinho. Pensei realmente que o Andre [Agassi] e o [Radek] Stepanek o iriam ajudar“, acrescentou o técnico de Djokovic, revelando ter aprendido uma grande lição neste seu regresso: o de acreditar no melhor.

“Duvidei todos os dias, porque tinha a função de trazer o melhor do Novak. Pensava de forma negativa, e eu nunca tinha sido uma pessoa negativa. O que se passou em Wimbledon, ainda não consigo perceber porque simplesmente aconteceu”.