Empresário de Sharapova garante: «Todos os torneios WTA me ligaram para lhe dar wild card. Todos»

Max Eisenbud, o empresário de Maria Sharapova que terá estado na origem da infração antidoping cometida pela sua jogadora, ao esquecer-se de consultar a nova lista de produtos proibidos pela Agência Mundial de Antidoping no final de 2015, confessou esta quarta-feira em entrevista à ‘CNN’ que a suspensão pela qual a russa passou terá tido o condão de prolongar a sua carreira até, muito provavelmente, os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

“Se não fosse a suspensão, este seria provavelmente o último ano da Maria. Assim, vejo-a a jogar até aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ela está muito motivada e vê isto como uma terceira carreira. A segunda havia sido após a operação ao ombro direito, em 2009”, confessou o norte-americano, que trabalha desde sempre com a russa na IMG.

Eisenbud comentou a recente polémica dos wild cards e garante que convites não têm sido problema para Sharapova. “Todos os torneios WTA me ligaram para lhe oferecer um. Todos.”

Sobre o autor
- Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *