Stan Wawrinka vai disputar o ATP 250 de Genebra a custo zero

É um torneio da casa, no qual terá o apoio fervoroso dos fãs, mas por vezes isso não é motivo suficiente para muitos dos jogadores de topo marcarem presença em provas dos respetivos países natal – é preciso o habitual ‘cachê de presença’ para que tal aconteça. No entanto, de acordo com a imprensa local, isso não parece ter sido necessário para convencer Stan Wawrinka a disputar o ATP 250 de Genebra.

A prova helvética disputa-se nesta semana e para muitos jogadores é o derradeiro teste antes de Roland Garros. Ciente da sua atual fase na carreira, na qual ocupa a 23.ª posição da hierarquia mundial, Stan Wawrinka contactou a organização do torneio de Genebra a requisitar um dos convites disponíveis para o quadro principal… sem ser necessário qualquer cachê.

Apesar de não ser um dado do domínio público, muitos dos jogadores mundialmente conhecidos raramente dispensam um pagamento pela simples presença em torneios de nível inferior. O próprio Roger Federer, por exemplo, cobra cachê pela sua presença no ATP 500 de Basileia, apenas um de muitos casos no circuito. No entanto, Wawrinka optou por deixar de lado interesses financeiros pelos interesses na sua carreira, tudo para ganhar ritmo, disputar encontros e preparar-se para o Grand Slam francês.

Vencedor das edições de 2016 e de 2017, o jogador de 33 anos é o terceiro cabeça-de-série no quadro, atrás de Sam Querrey e de Fabio Fognini. Defronta Jared Donaldson ou Denis Istomin nos oitavos-de-final.