Shapova-love! Sete meses depois da 'bolada', Denis regressa à Davis e mantém o Canadá no Grupo Mundial

Há pouco mais de sete meses, Denis Shapovalov vivia aquele que será para sempre um dos momentos mais negros da sua carreira, ao acertar violentamente no árbitro de cadeira durante a primeira ronda da Taça Davis, levando à sua desclassificação e consequente derrota da equipa. Neste fim-de-semana, o jovem canadiano ‘redimiu-se’ da melhor forma ao dar ao Canadá dois dos três pontos necessários para manter a formação no Grupo Mundial, vencendo no garra os dois singulares diante da Índia.
O regresso de Denis Shapovalov à Taça Davis aconteceu na forma de uma maratona de quase quatro horas, na qual o jovem promissor chegou a estar a liderar por dois sets a zero e a ter um match point na terceira partida frente a Yuki Bhambri, mas vacilou nos momentos cruciais e só resgatou a vitória com os parciais de 7-6 6-4 6-7(6) 4-6 e 6-1 e dar assim o 1-1 ao Canadá.
Com Vasek Pospisil e Daniel Nestor a triunfarem no par de sábado, coube da Shapovalov, número 51 do mundo, a tarefa de abrir as hostilidades neste domingo em Edmonton, sobre o piso rápido e indoor, para lutar pela permanência da equipa da casa no Grupo Mundial pelo sétimo ano consecutivo frente a Ramkumar Ramanathan. E depois de um primeiro singular agitado, Shapovalov disparou 30 winners ao cabo de 2h05 para dar o terceiro e crucial ponto ao Canadá e resolver assim a confusão criada no início da temporada.


O Canadá não conta com qualquer final disputada na sua sua história na Taça Davis, mas, com nomes como Denis Shapovalov, Milos Raonic, e um Felix Auger-Aliassime em ascensão, essa poderá ser uma realidade a mudar em breve. Para o ano, haverá uma nova oportunidade.