Serena ilibada de pagar multa por não ir a Singapura

A WTA não vai aplicar qualquer sanção a Serena Williams por se ter recusado a marcar no WTA Finals, prova que decorre durante esta semana em Singapura e que reúne as oito melhores jogadoras da temporada. A revelação foi feita pela própria presidente da WTA, Micky Lawler, ao The New York Times.

“Ela está lesionada, não há dúvidas em relação a isso, e penso que o seu corpo já está suficientemente fustigado. Ter de voar para o outro lado do mundo não faz muito sentido”, disse Lawler.

“O que torna as coisas mais difíceis é que, no final do ano, ela vai querer disputar algum encontro, jogar um set aqui e outro ali, e isso não vai ser bem recebido pelo público. Nós entendemos. Sim, não gostamos, mas entendemos”, acrescentou.

A número um mundial revelou no início do mês que só voltaria a competir em 2016, aproveitando o resto da temporada para tratar mazelas e recuperar adequadamente de um ano desgastante. Uma decisão que podia ter saído cara à campeoníssima norte-americana, de acordo com o regulamento da WTA:

“Qualquer jogadora classificada que não pode competir, deve participar no torneio durante um mínimo de dois dias completos (um mínimo de três horas em cada dia) em ações promocionais para benefício da WTA e/ou do torneio. As jogadoras classificadas que não assistam e compitam, ou compareçam para promover o torneio, serão objeto de uma multa de 125 mil dólares (cerca de 113 mil euros).

A jogadora de 34 anos, que não disputa qualquer encontro desde as meias-finais do Open dos Estados Unidos vai regressar aos courts em Perth, Austrália, para disputar a Taça Hopman, o torneio de exibição por equipas que tem início a 3 de janeiro.